Começo

A manhã sem custo desperta
o poema, persiana aberta
com cuidado, que espreita

o indício de crime em que o dia
se apóia: pessoas que deambulam
entre os vestígios que chamamos

coisas e seres, pedaços de realidade
que se acumulam, podres ou intactos
como os tomates da feira.

A manhã, ainda a ser escrita,
futuro resto de uma segunda-feira.

André Ricardo Aguiar