Se eu morrer um dia,

se minha sombra não tiver um corpo para se escorar,

se eu tentar fazer barulho e só sair mímica,

se eu descobrir meu nome apagado

e se eu me olhar não espelho e não me achar,

se um dia não precisar de maçaneta

para ir de um cômodo a outro,

se eu passar pela cozinha e não sentir fome,

e se eu não tiver ouvidos para o telefone,

e pé e topada não se toparem,

e se a casa ficar assombrada com minha risada,

mesmo assim, a todo custo,

se eu conseguir chegar até você,

promete, jura que promete

não levar um baita susto?